Árvores do Bosque : Açaizeiro

Nome Popular : Açaizeiro
Nome Científico : Euterpe Oleracea
Sinonímea : Sinonímia: palmito.açaí, açaizeiro, palmiteiro, piná, uaçaí.
 
Origem : Amazônia brasileira.
Família : Palmae
Altura : até 20 metros. Palmeira naturalmente entouceirada.

Finalidade : os troncos são utilizados passageiramente como caibros, ripas e barrotes. Do fruto se extrai um vinho (não alcoólico) conhecido no Pará simplesmente como "açaí" (se um paraense chamar ao "açaí" de "vinho de açaí" se "entregou": não é paraense....) O caroço, depois de decomposto, é utilizado como adubo orgânico e, mais recentemente, para consecução de biomassa. O palmito tem grande qualidade, o que determinou uma predação intensa à palmeira, as folhas mais velhas podem ser usadas no fabrico de papel, as folhas mais novas servem de ração animal.

Finalidade terapêutica : o açaí, pela alta concentração de ferro e vitaminas é altamente energético: tem (em 100 g) 247 calorias, 3,8 g de proteínas, 118 mg de cálcio, 58 mg de fósforo, e ainda as vitaminas B 1 , B 2 e C. Diferente do que se propala, alguns pesquisadores afirmam que o açaí não é tão rico assim de ferro. Segundo se afirma, como os recipientes onde o açaí é "amassado" são normalmente de ferro, pode ter este fato confundido exames laboratoriais.

Curiosidade I : o "vinho de açaí" virou fruta da moda entre a geração saúde do eixo Rio-São Paulo (que o consorcia a qualquer coisa que digam ser saudável, como o guaraná, por exemplo), mas faz parte da complementação alimentar do homem da Amazônia, principalmente se acompanhada de farinha (de mandioca ou de tapioca) e com peixe assado, ou camarão frito, ou com iscas de pirarucu, ou... O sucesso do "vinho do açaí" como é conhecido nos novos mercados teve como reflexo não apenas que se parasse com os cortes para extração de palmito, como ainda que acelerasse o plantio de novos exemplares, afastando o perigo de extinção que já era notado em regiões onde havia muitas palmeiras e suas touceiras, como em certa áreas da Ilha do Marajó.

Curiosidade II : a lenda do açaí pode ser assim resumida: havia uma tribo indígena na localidade onde foi implantada a cidade de Belém, Pará, que atravessava uma grande dificuldade de alimentação. O cacique da tribo determinou que todas as crianças nascidas fossem sacrificadas, para não potencializar os problemas da falta de alimentos. Uma filha do cacique, Iaça, teve uma filha que, mesmo sendo neta do maioral da tribo foi sacrificada. Um dia, Iaça ouviu um choro de criança, saiu da taba e viu a filha no tronco de uma palmeira, e correu para abraçá-la, mas ela desapareceu e a índia morreu. Quando foi achado o seu corpo, os índios repararam que os olhos negros da falecida estavam voltados para um cacho de frutos que estava no alto da palmeira, da mesma cor dos referidos olhos. Apanhados, foram transformados no vinho e a tribo deixou de correr o risco da fome. O cacique, em homenagem à filha, deu ao fruto o nome invertido de Iaça, que ficou açaí.

Curiosidade III : há um ditado que diz: "quem vai ao Pará, parou, bebeu açaí, ficou". Pode até não ser: mas quem de Belém vai, leva consigo a saudade do açaí...