Árvores do Bosque : Cupurana

Nome Popular : Cupurana
Nome Científico : Pachira aquatica
Sinonímea : monguba, cacau-selvagem, mamorana, embiratanha, cacau-falso, carolina, castanheiro-do-maranhão, sapote-grande
 
Origem : América do Sul.
Família : Bombacaceae
Altura : até 14 metros.

Finalidade : a madeira, leve, porosa, de baixa durabilidade, serve apenas para usos internos de caixotaria, fabrico de fósforos (palitos, claro), moldura e pasta para papel. As sementes são comestíveis e muito apreciadas pelo homem do interior, apesar de razoavelmente desconhecida pelo homem urbano da própria Amazônia. As sementes, torradas e moídas, substituem o café e o chocolate. Por ter o copado frondoso, dá uma ótima sombra o que a recomenda para projetos paisagísticos, observando-se porém alguns cuidados uma vez que os seus frutos são grandes e pesados. Suas flores são de invulgar beleza, mas rapidamente perdem a beleza, tão logo polinizadas pelas aves ou pelos insetos.

Finalidade terapêutica : as folhas são emolientes (substâncias que amolecem inflamações). Como todos os vegetais emolientes, é considerada por muitos como capaz de curar o câncer. O sufixo "rana" é designativo de "semelhante a". Cupurana quer pois dizer "semelhante ao cupú", que é como o homem da Amazônia conhece na intimidade o cupuaçú